Provérbios à moda salomônica III

  1. Quando dança o sábio lhe tomam por louco, mas dançando o louco ninguém presta atenção.
  2. Quando desce o sol, desce também o trabalhador à sua cama. Mas o preguiçoso com a lua põe-se de pé.
  3. A morte do justo pranteia o justo, mas morrendo o iniquo pranteia todo o povo.
  4. Aborrece seu pai e entristece sua mãe o filho que não deseja para si gerar filhos e filhas.
  5. Um prato de dor é o adultério: um pão suave de formas, mas que ao paladar é sangue pisado.
  6. A voz do arauto não será ouvida quando invadirem os inimigos se sua boca a todo tempo profere mentira e diz “foi brincadeira”.
  7. Doce é a uva e amargo o fel, mas o profeta ao amargo prefere quando deve guardar-se das corrupções da mesa do rei.
  8. O canto da congregação alegra os justos, mas aos rebeldes enche de furor.
  9. A palavra do justo empenhada diante do profeta mais vale que todas as reses do rei no altar do sacerdote.
  10. Se dormita o vigia, perece todo o povo; mas, se dorme todo o povo, perece o vigia e também todo o povo.

Autor: Dayher Giménez

28 de abril de 1989, A.D.: nasci. Desde então, penso. Pindoramense e granadino, paulista e andaluz, brasileiro e espanhol. Neto de imigrantes e exilados por três costados (espanhol, austríaco e italiano) e brasileiro da gema por um costado (a tríade miscigenária da Terra de Santa Cruz). Graduado primordialmente em História pela antiga Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Catanduva e em outras “coisas” — a grande palavra medieval! — da universitas magistrorum et scholarium, sou agora acadêmico no 3o ano de Direito das Faculdades Integradas Padre Albino. Em religião, cristão reformado. Em política, conservador libertário. Em futebol, palmeirense. Eis os crivos básicos. Ouso escrever sobre aquilo que me chama a atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *