Os Sete Pecados Capitais [poeminha catequético]

Gula
A meia-noite é um meio-dia.
Almoçar e jantar, que alegria!
Mesa farta e um’alargada pia
Me empanzinam de sal & cia.

Avareza
Contando cada cobre e lata
Para trocar por níquel novo.
Café sem mingau nem ovo
Para não fazer pedir o povo.

Luxúria
Ai, a donzela que nada no lago
Vai pra sempre me tirar o sono!
E se nada assim a ver-se, corno
Acabo antes já do fim do ano.

Ira
Fogo pelos olhos e pela língua.
Acúleo de boca e pensamento.
O fígado pinga ácido ferimento
Té matar no espírito o lamento.

Inveja
O gordo olho do velho magro
Examina todo o porco assado.
A íris é boca que mastiga tudo:
O alho, o ouro, o verde prado.

Preguiça
Está tão molhada esta chuva
E tão seco este sol caloroso,
Que o leito é… mais deleitoso
E o capinar proceder ruinoso.

Soberba
Eu é que sou tudo e vós sois nada!
Não notastes esta superioridade,
Tão óbvia quanto a notoriedade
Da fama sobre a anônima verdade?

Autor: Dayher Giménez

28 de abril de 1989, A.D.: nasci. Desde então, penso. Pindoramense e granadino, paulista e andaluz, brasileiro e espanhol. Neto de imigrantes e exilados por três costados (espanhol, austríaco e italiano) e brasileiro da gema por um costado (a tríade miscigenária da Terra de Santa Cruz). Graduado primordialmente em História pela antiga Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Catanduva e em outras “coisas” — a grande palavra medieval! — da universitas magistrorum et scholarium, sou agora acadêmico no 3o ano de Direito das Faculdades Integradas Padre Albino. Em religião, cristão reformado. Em política, conservador libertário. Em futebol, palmeirense. Eis os crivos básicos. Ouso escrever sobre aquilo que me chama a atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *